quinta-feira, 12 de abril de 2012

Casimiro de Abreu - RJ

A última minha ida a Casimiro de Abreu, onde passo, mensalmente, alguns dias e reabasteço minhas energias...
Caminho por lá, pelas manhãs e pelas tardes... sempre acompanhada de alguém... porém não me intimido se não tenho tal acompanhante...
Durante, no mínimo uma hora de cada vez, deixo entrar oxigênio puro nas minhas vias de recebimento da vida... ela se nos escapa sempre... ou fica carbonizada pelo dia a dia...
As pessoas que lá residem são, na maioria, da melhor idade... sempre de bom humor, pela falta de poluição talvez... quem sabe???
Lá apetece fazer gostosuras... minha tia capricha nos doces... imaginem que depois eu preciso fechar a boca, naturalmente... mas não dispenso nenhum delicioso ao paladar, certamente... Alegra o nosso viver o doce do açúcar, esporadicamente... ao menos faz bem aos olhos... sou de fato encantada com os adocicados... não muito abusivos no açúcar... doce doce, não melado...
Até o famoso torresmo com aipim fez parte do nosso cardápio desta vez, visto que há um ano não os comia... e do jeito que meu tio faz... vocês nem imaginam!!!
Lá vejo televisão... não há muito o que fazer... Internet só discada...
Dá tempo para tudo, até de dormir após o almoço, aquela famosinha sexta... que delícia!
A Celebração Eucarística aos sábados, à noitinha, nos deixa em comunhão com a Comunidade local e em integração conosco mesmos...

A gente se arruma como se fosse a uma Festa e não é a Celebração Eucarística uma Festa???

Tem gente que tem o hábito de ficar do lado de fora da casa jogando conversa fora, isto quase não faço, prefiro elaborar trabalhos manuais que nunca me faltam na bagagem... dou conta de coisas que inicio em outras refrescadas que dou na mente...
Intercalo o mental com o manual para ficar o máximo possível zen...
Agora, desejo falar do cenário lindíssimo que vislumbro por lá e não me canso de descrever...
Desta vez estamos explorando mais distâncias ao redor... outras Fazendas visitando...

Ai, Meu Deus, que encanto!!!

Visitei um morro de uma delas que me fez recordar um do ES na minha infância que subíamos correndo... brincando com tantos meninos do interior de lá, onde passávamos dias...
Olhei o cenário, participei de um por do sol belíssimo que até coloco a foto para ilustrar o que tento descrever com palavras... mesmo sabendo que é quase inútil...
Tiramos mil fotos para não apagar a memória e nos divertirmos a valer... bem narcisistas e adolescentes... pode ser... talvez!! Isso importa pouco em vista da grandeza dos dias vividos por lá...

Aprecio os animais rurais... bois, cavalos, galinhas...
A segurança ainda não passa de animal de grande porte, não mais... certamente que os capatazes dão medo... mas passam e nos cumprimentam pela estrada afora, como Chapeuzinho Vermelho me sinto... só vendo...
Vejo tais senhores como os lobos maus do local...

Em cima de tal morro, vê-se toda a região e a BR 101... ao longe...
Já temos programa certo para a próxima ida ao local no mês que vem... dizem ter uma vista fabulosa, estou ansiosa... haja coração e fotos... para variar...
A saudade vem na bagagem de volta... mas o que me espera aqui é também muito bom... muitos compromissos... filhos e netos... Será menos bom??? Hum!!! Vocês adivinharão minha resposta, hein...

Ao cotidiano... com muito mais energia positiva... para as nuances que virão... nunca deixam de estarem presentes...
E até a volta, se Deus quiser me permitir... Ele sempre quer...

Obrigado, Senhor!!!

Lá pude rezar e me sentir como a ovelha do BOM PASTOR... foi um momento inesquecível ficar nos Braços Amorosos do Pastor Bondoso...


Meus dias na roça são sempre permeados de canto de pássaros, comidinha gostosa e caseira... paz interior... serenidade dentro e fora de mim...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui a sua alegria em viajar comigo.