sexta-feira, 24 de fevereiro de 2017

#52semanasdegrratidão 7




Começo a postagem com um texto publicado em 2009:


O ESPÍRITO E A VIDA CRISTÃ

O QUE É VIDA CRISTÃ?

É união com Deus... Inserção na vida trinitária... Vida de filiação divina... vida teologal de Fé, Esperança e Caridade... Seguimento de Cristo... Vida no Espírito.

Quando sou conduzida pelo Espírito de Deus, quando escolho entre a "carne" e o espírito, algo pode ser extinto em mim... algo que "promete"... que eu posso "penhorar"...
O local onde está o Espírito é no corpo e no coração.

O meu coração é sede de EMOÇÕES... DE AFETOS... DE PAIXÕES... DE EFLÚVIOS... INTELECTUAL... MORAL... DE CONSCIÊNCIA... SEDE DE TRISTEZA... DE ALEGRIA... É TEMPLO DO ESPÍRITO SANTO QUE HABITA EM MIM... NINGUÉM PENETRA A NÃO SER OS OLHOS DE DEUS... LUGAR DE MANIFESTAÇÕES SENSÍVEIS... SEDE DE RESOLUÇÕES E DESEJOS PESSOAIS...

A minha carne é outra ENERGIA... OUTRO PRINCÍPIO DE AÇÃO... muitas vezes se opõe ao meu espírito... me leva a agir segundo a própria lógica do meu interesse...

ENTÃO O QUE É MESMO VIDA NO ESPÍRITO?

É processo... caminho... exige trabalho... se dará totalmente um dia... itinerário de contínua conversão... homem carnal x homem espiritual... leva tempo... dura e abraça toda existência.

Em nível experencial, posso dizer que é OPOSIÇÃO: movimento carnal e seu combate...

EXPERIÊNCIA CRISTÃ DO ESPÍRITO SANTO

Sentimento de PERTENÇA... COMO EXPERIMENTO ISTO, MEU DEUS!
Consciência de viver sob a infusão do ES. É lindo demais a gente ser levada, conduzida... por Deus, como um barco no mar...
O DISCERNIMENTO é o que aparece no "ponto x" do Combate...

Vamos combinar uma coisa? Não é fácil a vida no Espírito por nós mesmos... Então, vamos rezar uns pelos outros para mais força ganharmos para superar a nós mesmos, a retirar de nós o egoísmo?
Da minha parte, aceito sua oração pelo meu crescimento interior e espiritual e agradeço de coração contrito.

Deus lhe abençoe, amigo blogueiro.

Nesta sétima semana de gratidão, quero agradecer a Deus por todo livramentos que me dá, estando eu no Estado do ES de férias e para estar com familiares...


#anchieta

Voltando do meu esconderijo na roça...








#vilavelhaes


















Gratidão  de 2017:































domingo, 19 de fevereiro de 2017

#52semanasdegratidão 6




Começo com o texto que encabeçou meu primeiro blog em 2008...


EM TUDO SEJA DEUS GLORIFICADO!
 (S. Bento)

Um amigo meu comprou uma casa velha demais de um século, conservada, como muitas que existiam naquela região. Muitas coisas a serem consertadas. Tudo teria que ser pintado de novo.
Antes de pintar com as cores novas, ele achou melhor raspar das paredes a cor velha, um azul sujo e desbotado. Raspado o azul, abaixo dele surgiu uma cor rosa, mas velha ainda que o azul. Raspou-a também.
Aí apareceu o creme e depois dele surgiu uma cor rosa, mais velha ainda que o azul, raspou-a também. Aí apareceu o creme, e, depois do creme, o branco.
Cada morador havia coberto a cor anterior com uma cor nova e assim ele foi indo. 
Pacientemente, camada por camada. Queria chegar à cor original, que apareceria depois que todas as camadas de tintas fossem raspadas. Finalmente o trabalho terminou.
O que encontrou foi uma surpresa inesperada que o encheu de alegria. Mais bonito que qualquer tinta: madeira linda, o maravilhoso pinho de riga, com nervuras formando sinuosos arabescos cor castanha contra um fundo marfim.

Parábola: somos aquela casa ao nascer, somos pinho de riga puro. Mas logo começam, demãos de tinta.
Cada um pinta sobre nós a cor de sua preferência. Todos são pintores: pais, avós, professores, padres, pastores. Até que o nosso ser verdadeiramente desaparecer.
Claro, não é com tinta e pincel, é a fala. São as palavras.
Falam, as palavras grudam no nosso ser, entram na carne, ao final, o nosso ser está coberto de tatuagens da cabeça aos pés.
Educados, quem somos?
"O intervalo entre os nossos desejo e aquilo que os desejos dos outros fizeram de nós." Responde Álvaro Campos.


“Procuro despir-me do que aprendi. procuro esquecer-me do modo de lembrar que me ensinaram e raspar a tinta com que me pintaram os sentidos.
Desencaixotar minhas emoções verdadeiras. Desembrulhar-me e ser eu, não  ALBERTO CAEIRO, mas um animal humano que a natureza reproduziu. Mas isso (triste de nós que trazemos a alma vestida!) exige um estudo profundo, uma verdadeira aprendizagem de desaparecer." 
Uma desidentificação.




Minha sexta semana de gratidão a Deus pelas férias que se estendem ao longo de fevereiro...




Sou um barco esquecido na praia...















































Foi uma semana de lutas e provações em todos os sentidos até porque o Estado do Espírito Santo onde estive nesta semana, passou por inúmeros conflitos e pude sentir na pele o que é estar prisioneira sem sê-lo... uma semana sem sair de casa quase... Retornei de Vila Velha e o jeito foi o refrigério na roça... o que me fez muito bem...


Gratidão  de 2017: